Somos a Associação de Cooperação Técnica para o Desenvolvimento Humano - Outro Olhar, fundada em 2008, a partir da ideologia e determinação de diversos profissionais de várias áreas do conhecimento com vasta experiência em projetos ligados ao terceiro setor.

Bem Vindos ao nosso Espaço!

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Relatório de Atividades Outro Olhar 2016

No dia 10 de junho, uma manhã fria, os bravos associados e convidados da Outro Olhar compareceram para a Assembleia Geral Ordinária - AGO. Agradecemos a todos que fazem parte dessa família e que permitem a Outro Olhar existir e lutar por um mundo mais humano com menos desigualdades.
Motivados por uma das frases de Ghandi "Seja a mudança que você deseja ver no mundo" foi apresentado e aprovado o Relatório Anual de Atividades da Outro Olhar de 2016, compartilhado a seguir.







































segunda-feira, 5 de junho de 2017

Agroflorestas Guarani: Diversidade e Cultura

A sustentabilidade é uma característica inerente aos sistemas agroflorestais – SAF’s-, pois estão alicerçados em princípios básicos que envolvem aspectos ecológicos, econômicos e sociais. Todo método ou sistema de uso da terra somente será sustentável se for capaz de manter o seu potencial produtivo também para gerações futuras. Além disso, os SAF’s para serem considerados sustentáveis devem envolver os aspectos sociais, econômicos e ecológicos, isto é necessitam que sejam socialmente justos economicamente viáveis e ecologicamente corretos.
Com o recente reconhecimento e a conscientização da importância dos valores ambientais, econômicos e sócias das florestas, podem se perceber no cenário mundial fortes tendências para as mudanças significativas na forma de uso da terra, com a utilização de sistemas produtivos sustentáveis que considerem além da produtividade biológica os aspectos socioeconômicos e ambientais, diante do múltiplo proposito das árvores, os sistemas agroflorestais constituem-se em alternativas sustentáveis para aumentar os níveis de produção agrícola, animal e florestal.
Esse sistema vem como alternativas, para pequenos produtores, povos, comunidades tradicionais, indígenas, quilombolas e assentados da reforma agrária, permitindo a consolidação da produção de alimentos com o plantio de florestas contribuindo com o auto sustento das famílias e a preservação da biodiversidade em prol de um desenvolvimento sustentável. 
Sendo assim nada mais justo que as famílias e os grupos de agricultores que fazem o uso de práticas ecológicas e sustentáveis, sejam lembradas também na semana mundial de meio ambiente por terem importantes contribuições na sociedade em prol da sustentabilidade e de um método digno de produção sem ofender e nem prejudicar o próximo.
Especialmente para os grupos de agricultores indígenas nossos cumprimentos e reiteração do orgulho do trabalho realizado!

O trabalho de reocupação das áreas que há muitos anos foram deixadas sem produzir na forma tradicional, a partir de um esforço conjunto, técnicas atuais, saberes tradicionais e cultura Guarani, do Tembiapó, da Rede Solidária Popyguá, da Outro Olhar e de cada Participante; apresenta já seus resultados.
A colheita de alimentos saudáveis das ricas e diversificadas agroflorestas para alimento da família, da comunidade e o excedente disponibilizado para toda a população (comercialização). Além da alegria de estar contribuindo para desenvolvimento sustentável, cuidando da biodiversidade através das práticas agroecológicas; na busca de uma agricultura sinérgica mantendo a originalidade da natureza e dos recursos naturais, produzindo com consciência e eficiência.
Ressaltamos mais uma vez, na semana nacional de meio ambiente, nosso reconhecimento e admiração pelos indígenas que estão cumprindo com a missão de serem os guardiões da biodiversidade!
Jocelio Martins Ryzy – Técnico em Meio Ambiente e Agroecologia







quinta-feira, 20 de abril de 2017

Edital de Convocação para Assembleia Geral Ordinária

Edital de Convocação para Assembleia Geral Ordinária


A Associação de Cooperação Técnica para o Desenvolvimento Humano – Outro Olhar, através da sua Diretora Presidente Sra. Silmara Apª Walendorff, no uso de suas atribuições conforme prevê o Estatuto Social no artigo 19º, convoca a todos os associados para a Assembleia Geral Ordinária a ser realizada no dia 06 de maio de 2017, em primeira convocação com a maioria dos associados às 09:00 horas, e em segunda convocação com qualquer número de associados às 09:30 horas na sede da Outro Olhar, sito à  Estrada do Rocio, s/n, Àrea Rural Guarapuava – Paraná.
Tendo como pauta:
1) Relatório de Atividades 2016;
2) Associados;
3) Assuntos Gerais.
Contamos com a presença de todos.
Atenciosamente,
Guarapuava, 20 de abril de 2017.


Silmara Apª Walendorff
Diretora Presidente


terça-feira, 11 de abril de 2017

Mês da Cultura Indígena

Estamos em mais um mês de abril, que passamos a considerar o mês da Cultura Indígena por entender que um dia é pouco para dedicar ao conhecimento e convivência com a cultura original desta nossa terra; que por muito tempo foi subjugada.
Já há alguns anos a Outro Olhar vem criando oportunidades de espaços para estabelecer um diálogo entre a cultura Guarani e a sociedade não indígena; de forma singela, organiza oficinas nas comunidades indígenas sob diferentes temáticas e produz, junto com os participantes indígenas, materiais que são registrados em fotografias e vídeos.
Neste período a temática foi voltada ao que as comunidades indígenas querem mostrar. E o material produzido foi bem variado: paisagens, alimentos, brincadeiras de criança, atividades produtivas, cultivos, cerimônias, cantos, danças e plantas medicinais.
Assim nasceu a IV Mostra de Cultura e Arte Guarani reúne em fotos, vídeos, artesanato e oficinas a percepção guarani do seu local de vida, onde vivem o verdadeiro Nhandereko Reguã (modo de vida guarani).
O material foi produzido por adolescentes, jovens adultos e idosos das aldeias que compõem a Rede Solidária Popyguá, com apoio da Outro Olhar e voluntários brasileiros e europeus; com o intuito de mostrar ao não indígena um pouco do que é a vida nas comunidades atualmente e um convite para «Conhecer Melhor a Aldeia».
Embarque nessa viagem e descubra uma linda, singela e rica cultura de um povo ameríndio ancestral. E a primeira estação é o Museu Visconde de Guarapuava onde a mostra fica até final de abril. Aproveite para visitar!





quinta-feira, 23 de março de 2017

Projeto WWW: Encontro Final

Entre os dias 10 e 14 de março de 2017 a Outro Olhar através da associada Sandra König participou do encontro final do projeto WWW em parceria com a Joint e apoiado pela União Europeia. O encontro contou com a participação de representantes das organizações do México, Peru, Nepal, Romênia, França e Itália.
E foi realmente um bom encontro: encontro de culturas, línguas, vivências, experiências e esperanças. Teve um momento para a apresentação das atividades com os voluntários, tão ricas, belas, apaixonantes; bom para os voluntários e bom para as organizações, uma via de mão dupla. Outro momento para as experiências com as atividades de advocay, tão diversas e ao mesmo tempo com tanta coisa em comum, entre elas o empenho e a solidariedade com os voluntários.

E, sendo o final de um processo, momentos para avaliar e analisar. Lembrar e refletir e outra vez compartilhar; de forma mais detalhada as ricas metodologias desenvolvidas nas diferentes organizações, resultado de um rico processo de construção de um mundo mais solidário e humano; que resultará em um caderno com as vivências.
Além do trabalho, também momentos de descontração, na noite cultural experiências com diferentes comidas e bebidas, tantas sensações! E um pouco de passeio, pela bela cidade de Gênova e seus arredores.
Que projetos de voluntariado encontrem sempre espaço em nossas organizações!



Por Sandra König, associada Outro Olhar

quinta-feira, 9 de março de 2017

Conclusões Jéssica projeto WWW

Agora é o final de meu SVE e um pequeno conclusão esta necessário:

Esse ano foi cheio. Cheio em emoções, encontros, projetos profissionais, descobertas, aprendizagem, comida, música; e muitas outras coisas!
Eu cruzei varias emoções que uma pessoas pode sentir, e frequentemente, tudo misturada: a alegria, a tristeza, a imprudência, a reserva, o acanhamento, a medo, a felicidade, a indiferença, a empatia, a solidão, a compaixão, a solidariedade, a surpresa. Que bagunça!
E eu hoje?! Eu tenho mais confiança em eu mesmo, mais confiança em minhas capacidades. Eu me apaixonei  pelas  gravações e a edição dos videos e para aprender outras linguas. Agora, eu tenho uma visão mais otimista sobre meu futuro e eu tenho varias projetos na minha cabeça!
O SVE é uma oportunidade para a gente de se conhecer melhor. A gente esta sozinha em frente de situações desconhecidas;  então tem que puxar suas próprias limitações. A gente vê que é possivel fazer coisas que nunca vez você pensei.

Ficar um ano inteiro no Brasil foi uma experiência incrível. Eu tinha expectativas sobre o Brasil antes de chegar: Calor-Cachaça-Samba. O Brasil é um pais tão grande que todos os lados tem um espirito diferente. Eu morro no Sul do Brasil, no Paraná, então, aqui é muito frio no inverno, é uma cidade rural e o tipo de musica famosa é a sertaneja. No estado de São Paulo,  esta muito calor, tem musica de todo tipo e muito de pessoas na cada rua em qualquer horas do dia e da noite. Daqui um pouco, eu vou no estado do Rio de Janeiro e vou participar no Carnaval. Acho que vai ser ainda diferente. O Brasil é um pais maravilhoso graça as cores, os habitantes, os varias paisagem, a historia dele, a comida e a musica dele, as praias, os pôres do sol, os trovão; ... Não vou esquecer nada ! Nunca!

O trabalho pela associação Outro Olhar foi extraordinário. Eu convivi com as comunidades indígenas Guarani. Eu trabalhei junto com eles no projeto de vídeos e de fotografias. Eles me mostram a cultura deles, as crianças brincam comigo, eu sei algumas palavras em guarani... Eu fiz videos e tenho a esperança que eu conseguiu prestar homenagem a esse povo. O povo Guarani tem tão coisas para ensinar aos seres-humanos que sera uma grande pena de não conhecer nada da historia deles. Em fim, eu vou tomar um pouco disso comigo, no meu coração e na minha bagagem.
Queria falar tambem do trabalho da equipa de Outro Olhar: Sandra Konig, Silmara Wallendorff, Tony, Jocélio, Jandira e Scheila quem, dias pois dias, asseguram um trabalho excelente. Eles conseguiram ganhar a confiança dos indígenas para trabalhar juntos, com respeito e alegria. E agora, aquele relação entres os dois tornar-se em uma amizade harmoniosa! E para isso, Parabens e obrigada para este única sorte Outro Olhar! 

Por, Jéssica Veerapen


sábado, 11 de fevereiro de 2017

Carta Aberta do Povo Guarani da Rede Solidária Popyguá sobre os Direitos Humanos em Comunidades Indígenas

No XIX Encontro da Rede Solidária Popyguá realizado de 07 a 10 de fevereiro de 2017, no Centro de Convivência Itakora, em Guarapuava o principal assunto abordado foi Cultura Guarani: Rituais, mas também a questão cultural de organização das sociedades indígenas e sua autonomia.
Sobre esse último ponto, mediante a fotos recentes que vem acontecendo em aldeias guarani, que ameaçam o plano de desenvolvimento integral dessas comunidades (cultura, renda, autonomia, expressão), os participantes do encontro, no esforço para evitar esse retrocesso na caminhado do povo Guarani e indígena no geral. Redigiram e são signatários da Carta Aberta do Povo Guarani da Rede Solidária Popyguá sobre os Direitos Humanos em Comunidades Indígenas para tornar público o entendimento sobre a legitimidade da Organização Social Indígena Autônoma, saudável, sem abusos e atrocidades.
Ajudem a divulgar!
Somos povos indígenas cidadãos do mundo!